Carnaval em Natal e Redondezas - RN


Para nos resguardar da multidão/correria dos Aeroportos na sexta/sábado de carnaval, marcamos nosso voo para o domingo. Assim, os aeroportos estavam num nível aceitável de estresse e conseguimos chegar a Natal sem atrasos/imprevistos. Chegamos lá já bem tarde no domingo, e nem saímos da pousada. A noite foi definindo os passeios (ainda não fechados) e arrumando as coisas no quarto.

Na sexta pré-carnaval tivemos que levar Manu (com 11 meses na época) ao Pronto Socorro. Ela foi diagnosticada com Gastroenterite, e chegamos até (nos momentos de espera) a pensar em não viajar. Mas a médica que nos atendeu falou que não teria perigo viajar, visto que íamos para uma região com hospitais e área de praia. Os cuidados seriam hidratar bem a pequena, além de já saber que ela não comeria muito bem, e seria mais seletiva nos alimentos: só comeria o que gostasse muito. Por isso, mesmo com uma vontade de manter alimentação da Manu o mais saudável, compramos iogurte, biscoito de maisena e estes itens que até então ela não conhecia. Melhor ela comendo alguma coisa do que nada. Desencanamos e fomos! E claro, levando o "Kit Manu" e a farmacinha dela!

O carnaval em Natal é muito diferente do que estávamos acostumados, é muito tranquilo. Muitas famílias, mais aproveitando o lugar do que fazendo bagunça e algazarra. Nem parecia (para o nosso roteiro) que estávamos nesta data. A pousada que ficamos ficava na região na Ponta Negra, com vista para o Morro do Careca - um dos cartões postais de Natal. O quarto que ficamos na Pousada Azzurra era bem espaçoso. Eles colocaram aqueles berços portáteis no quarto, para facilitar para a gente. O café da manhã era bem farto, e Manu até comia pães e/ou frutas e vez ou outra o iogurte. Para quem estava com medo dela não comer nada, até nos surpreendeu.


Reconhecimento da Piscina da Pousada da Azzurra - Fase 1

Reconhecimento da Piscina da Pousada da Azzurra - Fase 2


Na segunda fomos conhecer a Terra Molhada. Lá fizemos o passeio de quadriciclo pelas lagoas. Eles tiveram o cuidado em deixar o nosso quadriciclo ser o primeiro da fila, assim não pegávamos poeira dos demais. A  Manu ainda cabia no canguru, então colocamos ela nele e foi entre a gente. Deu para fazer o passeio de boa. Mas confesso que ela deve ter mais mesmo é gostado dos intervalos que paramos nas lagoas para os banhos. Voltando do passeio almoçamos no restaurante da própria Terra Molhada. Escolhemos uma comida mais leve, para ver se Manu aceitava. O peixe ela aceitou de boa, mas nem quis olhar o arroz/feijão. Suco natural também aceitou bem. Este passeio foi agendado direto na pousada. Eles vem te buscar e levam depois do passeio na pousada. Recomendo este passeio até para quem não tem o espirito mais aventureiro - ele é super tranquilo. Para o jantar, devido a localização da pousada, era só descer para a avenida da praia e escolher um restaurante. A parte mais difícil era fazer Manu querer ficar no carrinho quietinha - mas vai lá né, ela tinha acabado de sentir um monte de emoções novas, estava num quarto diferente da casa e com tudo diferente do que conhecia. Aí era ter paciência, andar com ela (no colo ou carrinho) pela orla para que ela pegasse no sono e dormisse. 


Preparação

Passeio

Banho na Lagoa da Juventude

Descanso!


Na terça fomos conhecer Punau e também mergulhar em Maracajaú. Ambos lugares são lindíssimos. O local que a van da empresa parou em Punau tem uma vista/ambiente delicioso, de relaxamento total. Em Maracajaú pegamos uma lancha e fomos direto para alto-mar, na parte dos corais, para o mergulho. Levamos a boia de piscina da Manu, assim enquanto um fazia o mergulho, o outro brincava com ela na embarcação ou no cantinho dela - no mar. Pedi ao "guia" a ração que eles jogam para chamar os peixes, e na hora que joguei veio um cardume inteiro - nem preciso falar a reação da Manu nesta hora né? No retorno para a praia a Manu chegou a dormir na lancha que fez o translado. Chegando na praia, o almoço já estava a nossa espera (fizemos a reserva antes de ir para o alto-mar). Aconchegamos Manu na esteira para ela continuar o soninho, e assim que acordou almoçou um pouquinho. Ela brincou ainda um pouco na área do restaurante (tinha redes e uma grande área de grama) e depois dormiu na volta.


Punau - Sombrinha de leve

Punau

Maracajaú

Maracajaú - Corais

Maracajaú

Quarta de cinzas alugamos um carro para fazer os demais passeios com mais liberdade. Fomos a Barreira do Inferno ver a base de lançamento de foguetes. Dali fomos almoçar em Pirangi do Norte, onde conhecemos o Maior Cajueiro do Mundo. Retornamos ao hotel e deixamos para nesta noite jantar no Camarões. Lá Manu se comportou bem, só deu uma enjoadinha de sono mais para o final - mas aí só foi ninar ela um pouco do lado de fora do restaurante e pronto.


Barreira do Inferno

Foguetes

Aprontando na Barreira do Inferno

A cara da arte!

Reconhecendo os animais - Pirangi

No Maior Cajueiro do Mundo


Na quinta partimos para Pipa. Chegando lá fomos fazer o passeio de balsa para ver os golfinhos e nadar em alto mar. Almoçamos em um dos restaurantes da Praia do Centro. Ali ficamos até o pôr-do-sol, brincando com Manu naquela água quentinha e rasa. Na época ela estava dando os primeiros passos, e foi muito legal ver ela tentando andar na água, querendo correr para lá e para cá. Final do dia, fomos para a Pousada Pipa Village. O quarto lá é bem amplo. Ficamos num apartamento de dois quartos, com cozinha e sala. Eles tem uma área verde maravilhosa, e muito espaço para a criança correr e brincar. De noite fomos para a área central de Pipa jantar e dar uma andada. Levamos o carrinho de Manu, mas devido ao fato das ruas serem de pedras, não era tão confortável deixa-la nele, então era um com ela no colo e o outro empurrando o carrinho. O café da manhã da pousada estava bem variado - e neste dia Manu, além do leite dela, comeu bolo e tudo o que tinha direito.


Preparando para a balsa - Pipa

Passeio

Brincando na Praia Central

Praia Central - Pipa


Retornamos para Natal e fomos para o Mercado de Artesanato comprar as lembrancinhas, castanhas e bobeirinhas. Dali foi almoçar e retornar a Vitória.

Se deslocar de Vitória-ES para muitos destinos no Brasil não tem a logística mais facilitada deste mundo. Escalas são quase certas, assim como um "tempinho" de espera nos aeroportos deste Brasil baronil. Dito isto, passa-se a carregar um certo "mundo" para distrair a criança durante a viagem: videos, brinquedos que emitem "som", livrinhos bem ilustrados e por aí vai. O legal é ter algo novo, que ela vai se distrair e brincar por algum bom intervalo de tempo, e tornar a viagem mais agradável.

O fato da Manu iniciar a viagem com gastro não mudou o nosso roteiro. Conseguimos conhecer um pouco de Natal e redondezas. Lá ela não chegou a passar mal, mas estávamos sempre com o bromoprida e medicando ela tal qual nos foi orientado. Acredito que a hidratação foi fundamental. Ela bebeu muito suco e água de coco, além de água fresca.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hidrolândia Parque - Iúna - ES

Descobrindo Costa Dourada (Mucuri - Bahia)

Santa Teresa: Roteiro de 2 dias para aproveitar a cidade