Uruguai


Depois do meu período de licença maternidade tinha as minhas férias para tirar, que coincidiria com as do meu esposo. Sabendo que neste período Manu estaria com os seus 4 meses, comecei a buscar na internet destinos de pais com filhos pequenos - bebezinhos. A viagem deveria atender a alguns critérios estabelecidos, para facilitar a nossa vida. São eles:

  • Poucas horas de voô;
  • Escalas nem muito curtas e nem maiores que 2 horas;
  • Local com acessibilidade - para poder andar com o carrinho de boa;
  • Pais ainda não visitado pelos pais;
  • Local seguro, com bons restaurantes e mobilidade urbana.

Pois bem, depois de muito ler, e olhar o tempo de voo partindo de Vitória, o destino escolhido foi Montevidéu - Uruguai. Dos blogs que li na época, lembro apenas do Café Viagem e do Eu viajo com meu filhos. Prometo aqui que nas viagens daqui para frente, anotarei os blogs para poder fornecer como fonte de pesquisa também. 

Além de explorar a capital, tínhamos a intenção de visitar Punta del Este e Colônia. Esta última não foi possível (problemas com o voô na ida), mas mesmo assim a viagem super valeu.

Bom, para uma viagem pela America do Sul não há necessidade de ter passaporte, e o registro geral - identidade, já funciona. Só que como para coletar as digitais de uma bebê pode nem sempre ter sucesso, resolvi optar pelo passaporte. No site da Polícia Federal tem todo o passo-a-passo. O único chato é que a validade é de apenas 1 ano (para crianças nesta faixa etária)!

Manu e seu primeiro passaporte


Os horários dos voos foram muitíssimos importantes na escolha do local. Li que a decolagem e o pouso podem incomodar a criança, devido a alteração da pressão, e para tal, seria bom nestes momentos ela estar mamando (ou chupando chupeta, para os que usam). Logo, verifiquei um que coincidisse com os horários de mamada da Manu.

Na época da viagem estava prestes a voltar ao trabalho, e por isso Manu já fazia uso da mamadeira em algumas refeições. Então, levamos de bagagem de mão o leite que ela estava tomando, mamadeiras limpas, fraldas em excesso - caso imprevisto, roupas em excesso e toalhas para banho. Também deixei na bagagem de mão roupas de frio - para quando chegarmos em Montevidéu. O período em Montevidéu foi de 02 a 08 de Agosto de 2013.

Na ida só precisamos trocar (inclusive a roupa) a Manu em SP. O resto foi tranquilo. As mamadas super deram certo nos pousos e decolagens. E Manu não chorou durante o voo - para alegria dos pais e dos demais passageiros.

Chegando, fomos direto para o Hotel América. A localização dele foi crucial na escolha - perto de tudo! Outro fator importante foi ter lido nas avaliações do Hotel que as funcionárias da cozinha deixaram uma mãe lavar os itens para a papinha do bebê lá. Na época Manu só usava mamadeira, mas poder lava-las na cozinha do hotel invés do banheiro do quarto faz toda a diferença!

Do Hotel fomos a um café ali no entorno. Tiramos a parte de final de tarde e inicio de noite para fechar os roteiros e agendar o que ainda fosse preciso. De noite fomos conhecer o El Fogón e experimentar a "parillada" uruguaia.  

Nesta fase Manu tinha uma rotina bem definida. Acordava às 6 horas da manhã, e às 6 da tarde tomava banho, mamava e dormia. Assim, respeitamos os horários dela para definir o roteiro. Saíamos do Hotel depois das 9 horas (depois dela mamar). Às 12 horas estávamos sempre parando em algum restaurante "quentinho" para ela "almoçar" - esta refeição era a mamadeira. Ás 15 horas ela mamava novamente, então era a hora de parar em algum café ou lugar que desse para ela mamar. Ás 18 horas estávamos no hotel para o ritual do banho/mamar e dormir. Como levamos carrinho era tranquilo os passeios de dia - mesmo na hora do soninho dela, e de noite também - aí com ela dormindo já. Para sair no frio (cerca de 7ºC), super-equipávamos Manu: meia calça grossa, body de manga comprida, body de manga e depois a roupa do dia + blusa de frio + goro + cachecol + meia + sapato. Era o kit "Manu quentinha". 

Manu pronta para colocar a roupa de sair!


No dia 03 de Agosto fomos conhecer a Ciudad Vieja, andar pela Praça da Independência, Puerta de la Ciudadela, Plaza Zabala, Teatro Solís, Palácio Legislativo e Fuente de los Candados. Em suma: andamos pelo centro e fomos a Fonte. Andar tanto só foi possível porque estávamos perto destes pontos e Manu dormia muito nesta época.


 Plaza da Independência



 Fuente de los Candados

Quando parávamos nos restaurantes, aproveitávamos par tirar um pouco das roupas de Manu - já que ali não tinha vento frio.

 Parada para o almoço


No domingo fomos conhecer a cidade pelo Bus Turístico. Paramos no Shopping Tres Cruces para almoçar e de lá fomos ao Estádio Centenário assistir ao jogo do Atlético de Madri x Nacional. A parada no shopping foi muito importante para dar um "banho" na Manu, que aí ela "almoçou" e dormiu tranquila o sono da tarde. Dormiu no estádio logo que entramos, durante o jogo, e assim ficou até a hora do "lanche" da tarde. Confesso ter me surpreendido com a educação das pessoas no estádio, além da quantidade de crianças que vimos lá com seus pais. Nada de empurra-empurra, gritaria ou algo que assustasse os pequenos. Chegamos a pensar bem se entraríamos ou não - e ainda bem que fomos!  A parte negativa é que lá as lanchonetes não vendem lanches "pouco gordurosos", e no meu caso, que estava amamentando part-time, só a água era recomendável. Destaco que neste dia levamos o canguru invés do carrinho!

Entrada do Estádio Centenário

 Manu no Estádio - tirando uma soneca

 Torcida do Nacional em peso no Estádio Centenário

Em frente ao Estádio Centenário


Na segunda-feira fomos conhecer Punta del Este. Compramos o passeio com uma agência de turismo recomendada pelo hotel. O passeio era composto pela visita a Casa Pueblo e depois almoço em Punta e um tempinho lá para conhecer a cidade. A Casa Pueblo foi o primeiro contato de Manu com "arte", e o legal é que lá tem diversas obras coloridas e que mexem com o imaginário. Em Punta almoçamos e fomos andar pela cidade. Para nós, o único inconveniente foi não poder entrar no Cassino com uma menor - mas aí nem revesamos, simplesmente aproveitamos para andar mais pela orla. Na volta Manu deu uma enjoadinha na Van, mas aí contornamos a situação dando de mamar para ela!

A caminho da Casa Pueblo


Apreciando as obras - Casa Pueblo

Aprontando com as obras - Casa Pueblo

La mano de Dios - Punta


Na terça resolvemos dar mais umas andadas por Montevidéu - afinal, tinha vários pontos que ainda queríamos conhecer! Fomos então a Intendência de Montevidéu, Rampla e ao Mercado del Puerto. Lugares distintos e maravilhosos. Na Intendência você deve subir até o último andar - e de lá têm-se uma vista ímpar da cidade. No Mercado tem aquela coisa que eu simplesmente amo: uma diversidade de cheiros, sabores e cultura. A arquitetura do local é demais, e ali servem-se ótimos almoços! Neste dia demos um pouco de sorte: o Sol saiu tímido, mas dando uma energia top!

Intendência

Fofurinha!


Mercado

Na Praça com o papai (Como o Hotel era próximo a Plaza Independência, toda hora passamos por ela)


A noite reservamos para conhecer o El Milongon: uma casa de espetáculos com apresentações de candombe, tango, milonga e danças regionais. Optamos pela opção de espetáculo + jantar completo, e na última apresentação, Manu que até então estava dormindo do carrinho, acordou para o mamar da noite. Ficamos com receio dela chorar, mas do contrário, acompanhou até o final tranquila, tomando o leite. Depois, dormiu no táxi de volta para o hotel.

Arrumada para ir ao El Milongon

El Milongon (Manu dormindo)

El Milongon (Manu acordada).


No nosso último dia inteiro em Montevidéu deixamos para conhecer a Bodega Bouza. Neste dia estava muito frio, e por isso quando era a parte da apresentação que ficamos ao tempo entrei com Manu para o restaurante - para esperar. Optamos pelo passeio com degustação de vinhos e almoço. Aí ter entrado antes foi até bom, que pude trocar Manu, além de amamenta-la.



Durante a apresentação da Bouza


 

Esperando o papai no quentinho!


Restaurante da Bouza

Hora de partir (Manu no soninho)


Na volta pedimos ao taxista (optamos em ir para a Bouza de táxi) nos deixar no centro da cidade, para uma última andada e tomar um café no Havanna.

Manu brincando com as caixas de Havanna


Na quinta (e último dia) foi dia de arrumar malas, separar itens de primeira ordem para deixar na bagagem de mão e retornar para casa.

Essa foi a primeira viagem mais longa que fizemos com Manu. Como já estava perto de trabalhar, também estava parando aos poucos de amamentar. Aí, sempre deixava para tomar um vinho no jantar - que Manu já tinha mamado e só ia querer leite de manhã. Quando ela acordava pela madrugada, tinha que recorrer a mamadeira. Carregar a mamadeira conosco foi bom, pois no dia de visitar a Bouza, tomei vinho no almoço, e para não comprometer Manu, ela pode tomar a mamadeira. Mesmo não tendo ocorrido nenhum extravio de bagagem, levei muita coisa durante a viagem como bagagem de mão - medo de precisar e não ter por qualquer motivo.

Como a viagem foi bem tranquila, nos deu animo para querer viajar mais com Manu. Por isso sempre recomendo: viaje com seus filhos - porque viajar é bom demais!!!!


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Hidrolândia Parque - Iúna - ES

Descobrindo Costa Dourada (Mucuri - Bahia)

Santa Teresa: Roteiro de 2 dias para aproveitar a cidade