O que fazer na Serra do Cipó


Ao pesquisar sobre as cachoeiras e passeios pela Serra do Cipó, uma infinidade de atividades são descobertas. Aí é até difícil escolher o que fazer/conhecer. Na minha opinião, o Parque Nacional da Serra do Cipó tem que estar na sua lista – e o que fará lá vai depender do seu estilo.


Cachoeira Serra Morena I - Serra do Cipó - Santana do Riacho - MG


Isso mesmo, para escolher o que fazer é bom saber o que está disposto a fazer. Alguns lugares exigem caminhadas longas e um dia de dedicação. Outros, poucos metros de caminhada leve. Aqui, misturamos o que fazer de acordo com as nossas limitações: um casal com uma criança de 4 anos.


- Serra Morena

Foi o primeiro parque de decidimos conhecer. Havíamos feito no dia anterior uma viagem de 12 horas de carro (Vitória-ES a Santana do Riacho/Serra do Cipó-MG), e para este dia queríamos trilhas curtas e paisagens de tirar o fôlego.

Uma dica boa é comprar os ingressos com antecedência (que pode ser de 30 minutos para dias não tão concorridos) pelo aplicativo (ou site) Guia na Serra do Cipó (estava com 30% de desconto no valor da entrada).

A Estação Eco-Turística Serra Morena conta com uma ampla área de estacionamento e restaurante. Porém, é necessário percorrer uma pequena trilha para chegar às cachoeiras – A Serra Morena I e Serra Morena II.


Cachoeira Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


As trilhas possuem boa parte do percurso de nível fácil, mas a parte final exige um cuidado adicional devido à quantidade de rochas (algumas soltas) e a inclinação. Manu conseguiu fazer boa parte sozinha, mas no final, por precaução, tivemos um cuidado adicional e em algumas partes a pegamos no colo.

Boa parte da trilha de acesso para as cachoeiras é a mesma, e num determinado trecho a gente fez a escolha de conhecer a Serra Morena II primeiro. Não tinha noção de qual era esta cachu, e que delícia de surpresa que foi ao avista-la.


Trilha - Estação Eco-Turística Serra Morena - Serra do Cipó - MG


A difícil escolha de qual caminho seguir! Estação Eco-Turística Serra Morena - Serra do Cipó - MG


Nossa escolha: Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


As cores do caminho - Estação Eco-Turística Serra Morena - Serra do Cipó - MG

Mais cores - Estação Eco-Turística Serra Morena - Serra do Cipó - MG


Aquela parada apenas para apreciar - Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


Trilhas - Parte final - Estação Eco-Turística Serra Morena - Serra do Cipó - MG


Além do cuidado na descida, para acessar uma área mais rasa do poço é necessário atravessar um riacho. Ali é o primeiro contato com as águas geladas desta cachoeira.


Travessia de Riacho - Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


A Serra Morena II possui cerca de 50 metros, um bom poço para banho e águas num translúcido incrível. Sua queda d’água impressiona e nadar no seu poço é revigorante. O microclima no seu entorno é mais frio, e por isso ir em um horário que o sol bata direto nas pedras é reconfortante. Não nadei até de fato embaixo da cachoeira – talvez por estar embasbacada com sua beleza - mas vi algumas pessoas fazendo e depois me arrependi de não ter ido. Então fica a dica de não perder esta oportunidade estando lá!


Impossível resistir a este cenário - Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


A explendorosa Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


Agora de frente - Serra Morena II - Serra do Cipó - MG


Depois de cerca de uma hora de encantamento, fomos conhecer a Serra Morena I. Aqui a queda d’água é menor, poço também bom para a natação e chegar próximo também é possível – tanto que fomos os três. Fui nadando pela borda do poço com Manu (ela com apoio de uma boia e eu a acompanhando), e foi bem tranquilo chegar até lá. Do lado da queda principal, há uma cachoeira menor, com uma área ótima para apreciação da paisagem.


Serra Morena I - Serra do Cipó - MG


Sorriso colgate - Serra Morena I - Serra do Cipó - MG


Travessia do poço da Serra Morena I - Serra do Cipó - MG


E perto da queda d'água, uma cachoeirinha nos esperava - Serra Morena I - Serra do Cipó - MG


Sobre estar pertinho da queda d'água - Serra Morena I - Serra do Cipó - MG


Poço para banho da Serra Morena I - Serra do Cipó - MG


A Estação Eco-Turística Serra Morena é uma Área de Proteção Ambiental, criada através do Decreto Federal n°98.891 de 1990. Logo, nem todas as atividades são permitidas ali (como acampar, fazer churrasco ou trazer animais domésticos). Ao entrar no parque, o turista recebe um folheto com algumas informações do que é proibido e também informações de segurança, como o aviso de em caso de chuva, deve-se evacuar as áreas das cachoeiras.

A entrada no complexo Serra Morena custa R$30,00 (mas no aplicativo ou estando em determinadas pousadas é possível ter um desconto), e uma vez dentro do complexo, não tem como sair e voltar no mesmo dia.


Estação Eco-Turística Serra Morena - Serra do Cipó - MG

Não chegamos a almoçar no restaurante, mas confesso que fiquei super curiosa para conhecer. Então embora no caminho encontre opções próximas mais em conta, às vezes compensa explorar as cachoeiras o dia todo.


- Parque Nacional Serra do Cipó

O Parna Serra do Cipó é uma Unidade de Conservação Federal protegida por lei. Duas são as entradas do Parque, e estando em Santana do Riacho entramos pela Portaria Areias. As principais atrações por esta portaria são o Cânion das Bandeirinhas, a Cachoeira da Farofa, Cachoeira Capão dos Palmitos e as lagoas Comprida e Capivara.


Cânion das Bandeirinhas - Parna Serra do Cipó - MG



Para conhecer com calma as atrações desta portaria, indico ao menos dois dias no Parque. Aqui, destinamos um dia neste paraíso, e escolhemos conhecer o Cânion das Bandeirinhas e a Cachoeira da Farofa – de bike.

Como não havíamos reservado bicicleta (erro nosso), fomos cedo para o parque (por volta das 8 horas) para poder alugar as bikes lá na frente. O aluguel da bicicleta com amortecedor gira em torno de R$50,00 (fev/18) e sem amortecedor por R$35,00 (fev/18). Como também deveríamos alugar a cadeirinha, que não se adapta a bicicleta com amortecedor, todo o pacote (1 bike com amortecedor + 1 bike sem amortecedor + 1 cadeirinha) saiu por R$100,00. O pagamento foi feito em dinheiro, assim que retiramos as magrelas. No momento da retirada, as bicicletas recebem uma revisão e ajustes.

No Parna Serra do Cipó não há lanchonete ou algo do tipo, sendo necessário levar (e trazer consigo) aquilo que for consumir. Como a ideia era passar o dia, levamos uma garrafa com água de 600 ml (iríamos recarregar nos riachos – aqui, confira como estarão o nível deles), um lanche para o almoço e outros momentos de fome (suco de uva congelado, batatas chips, biscoitos, frutas e sanduiche). Também levamos protetor solar, canga e camisa de manga comprida com proteção UV.


Indicação de entrada para a estrada que dá na Portaria Areias do Parna Serra do Cipó


Portaria Areias - Parque Nacional Serra do Cipó - MG


A entrada no Parque é gratuita, e um monitor além de explicar um pouco sobre as trilhas entrega um panfleto com algumas informações de segurança. Destaca-se aqui que a área do Parque é considerada remota, e na maioria dele não há sinal de celular. Um lembrete que praticar atividades ao ar livre é de responsabilidade do praticante, e que estaremos em um ambiente natural também é feito. O monitor também alerta sobre os procedimentos que devem ser tomados em caso de chuva, em que os rios podem repentinamente subir o nível e aumentar a força da correnteza – nestes casos, não tentar atravessar. Destaca também que o uso de sabão e shampoo contaminam as águas do Parque, e por isso pede para que não sejam utilizados.

Informações captadas e magrelas ajustadas, hora de partir rumo ao primeiro destino: o Cânion das Bandeirinhas. São 12 km até o Cânion, dos quais não é possível percorrer todo ele pedalando. De acordo com informações do Parque, o nível desta trilha é alto (mas não achamos isso tudo não). Muitos são os trechos em que tem que descer para empurrar a bicicleta pelos riachos que dão o ar da graça no caminho. Aproveitamos muitas vezes para nos banhar nos riachos, além de encher a garrafa de água que levamos.


Relembrar não custa nada - Parna Serra do Cipó - MG


Placas indicaticas - Parna Serra do Cipó - MG


Um dos muitos riachos que encontramos pela trilha - Parna Serra do Cipó - MG


E essas águas douradas? Parna Serra do Cipó - MG


Um pouco da composição do Parna Serra do Cipó - Mg


O percurso já encanta – a mudança na vegetação, o canto dos pássaros e o barulho de água correndo. Deixamos as bikes no lugar mais próximo que conseguimos, e andamos cerca de 5 minutos ainda para avistar o Cânion das Bandeirinhas. Levamos duas horas para percorrer tudo, e ao chegar ao Cânion, foi só alegria.


Parna Serra do Cipó - MG


Cânion das Bandeirinhas - Parna Serra do Cipó - MG


Parna Serra do Cipó - MG


Muitas são as piscinas naturais que se formam, e buscamos uma com pouca correnteza para poder deixar Manu nadar tranquilamente. Ali, ficamos cerca de uma hora curtindo o lugar.


Nossa piscina natural - Parna Serra do Cipó - MG


Um pouco mais do Cânion das Bandeirinhas - Serra do Cipó - MG


Depois, hora de pedalar cerca de 7 km rumo a Cachoeira da Farofa. Para chegar na Cachoeira da Farofa, retornamos um pouco pela trilha que nos levou até o Cânion, e aqui os riachos não estavam mais com águas translucidas – possivelmente devido a quantidade de pessoas no Parque naquele dia. Pedalamos cerca de 1 hora e deixamos as bikes no ponto mais perto possível da Cachoeira. Dali, caminhamos mais uns 5 minutos e já estávamos aos pés da Cachoeira da Farofa.


Uma parada para refrescar a alma - Parna Serra do Cipó - MG


Foco nas belezuras desta foto e na cahoeira dando o ar da graça ao fundo - Parna Serra do Cipó - MG


Hora de caminhar um pouco - Serra do Cipó - MG


Nada como uma ajuda para a trilha - Parna Serra do Cipó - MG

Depois de subir alguns degraus (onde toda atenção pode ser pouca), hora de ficar de boca aberta com o visual desta cachoeira – são cerca de 80 metros divididos em três níveis. Seu poço permite ótimas braçadas, assim como chegar embaixo de sua queda.

As pedras próximas ao poço da cachoeira estavam concorridíssimas, mas nada como achar um cantinho e ficar admirando aquele volume todo de água descendo pedras abaixo.


Cachoeira da Farofa - Parna Serra do Cipó - MG


Sentindo um pouco a energia dessas águas - Parna Serra do Cipó - MG


Um pouco mais da beleza da Cachoeira da Farofa - Serra do Cipó - MG


Ficamos ali cerca de duas horas, apreciando e curtindo. Aqui, Manu não nadou conosco até embaixo da queda d’água (e reclamou muito por isso), mas aproveitou par tirar um soninho. Logo depois que Manu acordou, hora de voltar. Percorremos cerca de 7 km novamente, entregamos as bikes e fomos felizes para a pousada.

Caso também alugue uma bike, lembre-se de pedir o cadeado. Aconteceu que a gente não pediu, e aí saindo da cachoeira da Farofa alguém pegou nossas bikes e andou com elas até um riacho (parte que teriam que atravessar a empurrando). Aí imagina nossa cara quando voltamos e elas não estavam lá? Fomos andando já imaginando que teríamos que percorrer 7 km cansados com Manu, e na hora de atravessar o riacho às avistamos. Melhor pedir o cadeado e não passar por isso né? 

No total, pedalamos cerca de 26 km pelo Parque. Ou seja, ao menos que goste demais de andar, para conhecer o Cânion e a Cachoeira da Farofa, ir de bike é um ótima opção.


- Cachoeira Grande

A Cachoeira Grande é uma das imagens mais conhecidas da Serra do Cipó, junto com o Cânion das Bandeirinhas. E talvez por isso ela tinha que estar no nosso passeio. Localizada dentro de uma Área de Proteção Ambiental instituída através do Decreto Federal n°98.981 de 1990, para sua visitação é necessário adentrar uma propriedade particular, que por sua vez gera uma entrada no valor de R$30,00 (fev/18) ou menos, caso compre com antecedência pelo Guia Cipó (já falamos dele lá em cima).


Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Há um amplo estacionamento na entrada da Cachoeira Grande, banheiros e monitores para auxiliar com explicações sobre o lugar. Aqui é possível sair para almoçar e voltar no mesmo dia. Existe um limite diário de pessoas para este complexo, deixando aqui a dica de ir cedo.

A trilha de acesso para a Cachoeira Grande é fácil, e percorremos cerca de 1 km até chegar na digníssima (no caminho há outras cachoeiras menores, que optamos por conhecer na volta).



Trilha de acesso a Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Da trilha, já é possível avistar essa belezura - Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


A vista do alto é magnífica. Ver o rio Cipó vertendo naquele mundaréu todo é encantador. Ficar um tempinho apreciando é altamente recomendável. Depois, hora de conhecer esta belezura por outro ângulo – e aí é descer um pouco pela trilha para poder até nadar em suas águas. Para quem curte, é possível andar de caiaque pelo rio Cipó (que é um dos divisores da propriedade onde está a cachoeira).


Das opções para ver a Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Cachoeira Grande - Vista de cima - Serra do Cipó - MG


Cachoeira Grande - Vista de baixo - Serra do Cipó - MG


Nós e um dos cartões postais da Serra do Cipó 


Ficamos na Cachoeira Grande em torno de 30 minutos, e depois fomos buscar uma parte mais tranquila para Manu poder nadar. E aí encontramos uma área ótima para a pequena, entrando pelas trilhas menores que tem na área da Cachoeira Grande. Ali ficamos mais de uma hora. Para conhecer este complexo aconselho meio período do dia.



Uma pausa para o descanso - Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Caiaque? Aqui também rola! Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG

Entre as formações rochosas da Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Águas calmas e propricías ao banho? Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Tem que aproveitar! Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


Cachoeiras menores rio Cipó abaixo - Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG


A pequena curtindo um pouco a queda d'água que lhe cabia - Cachoeira Grande - Serra do Cipó - MG



- Como foi a experiência de conhecer a Serra do Cipó com uma criança?

Não sei se por falta de opção ou vocação, Manu curte muito todos os passeios que faz. Conhecer lugares diferentes instiga a pequena (Amém), e ela sempre topa as aventuras de boa. Nas trilhas, as vezes mais por cuidado nosso do que por pedido dela, rolou ir um pouco na cacumda do pai. No primeiro momento, estranhou a água gelada da cahoeira Serra Morena II, e depois já quis nadar até a queda d'água na outra cachoeira e reclamou porque não foi conosco (revesamos, claro) até a queda d'água na Cachoeira da Farofa. Já na Cachoeira Grande, curtiu mais o último poço - onde pode entrar na água e brincar de boas. Mas toda essa aceitação dela não vem do zero - sempre que possível, tentamos fazer atividades com ela - desde que seja coloca-lá para pedalar um pouco na garagem e/ou rua. 

Então, devido a tudo isso, foi maravilhoso conhecer um pouco da Serra do Cipó com a pequena. Primeiro ficar de cara com a natureza que nos cercava de olhar para os olhos dela e ver que o encantamento era o mesmo - ou maior - só tornou o destino mais que especial. 


- Mais dicas do que fazer na Serra do Cipó

Terá mais que três dias na Serra do Cipó ou já fez parte deste roteiro? 

Aproveite para também ver as dicas do blog Destinões sobre a Cachoeira Véu de Noiva e também os atrativos e passeios listados no Serra do Cipó.







Comentários

  1. Adorei o passeio! Você tem indicação de alguma pousada? Minha filha tem 2 aninhos vc acha um passeio muito pesado para ela?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Hidrolândia Parque - Iúna - ES

Descobrindo Costa Dourada (Mucuri - Bahia)

Parque Estadual Pedra Azul - Como Chegar e Quando Conhecer