Centro Histórico de Vitória


Desde a época que me mudei para Vitória sempre gostei de visitar o Centro. O conheci quando ajudava minha irmã na sua pesquisa de mestrado (que era ou no Acervo Público ou na Mitra Diocesana), e tive a oportunidade de nesta época poder andar um pouco por lá. Quando era da Aiesec, tínhamos o costume de levar os intercambistas  para conhecer o Centro - e ali aproveitava para me deleitar com todas as cores e estilos que encontramos lá.

Depois que Manu nasceu, não tinha voltado no centro nenhuma vez com este "ar" de turista. Pois bem, futucando no site da PMV vi que estavam (e a muito tempo - cadê aquela divulgação heim?) com o Projeto Visitar, no qual você faz uma "rota guiada" pelos patrimônios históricos tombados do Centro de Vitória. Em cada um deles têm uma pessoa para conversar um pouco sobre aquele monumento e algumas curiosidades da capital. No primeiro ponto que for dos monumentos que fazem parte da rota, você ganha um passaporte, e ao ir passando pelos locais, vão dando o visto. Simplesmente amei o passeio, e aproveitamos que nestes dias de junho estavam com temperatura agradável para este tipo de passeio e fomos com a pequena.

Capa do Passaporte Cultural

Passaporte Limpo - Início do Passeio


Já sabíamos que o passeio seria cansativo - afinal, o centro tem diversas ladeiras e teríamos que percorrer algumas. Assim, saímos de casa um pouco antes do horário de almoço, paramos o carro em uma vaga que consideramos segura (sim, infelizmente no centro é bom verificar que o acesso a vaga é fácil, se tem movimento perto e estas coisas) e fomos almoçar. Almoçamos no Restaurante Sena (próximo a Rua Sete) - a quilo, comida gostosa e variada. 

O primeiro monumento que visitamos foi o Convento do Carmo. Considero a Igreja do Carmo simplesmente linda, e ela tem um significado muito importante para nós (foi ali que nos casamos). Para entrar na Igreja do Carmo é necessário subir uma pequena escadaria. Confesso não ter reparado se havia entrada/subida alternativa e acessível. 

Convento do Carmo


Manu fazendo pose - ao fundo, o Jardim do Convento do Carmo


Interior da Igreja do Carmo


Minha pequena analisando o local


Explorando as particularidades


Detalhes


Esculturas da Igreja do Carmo - Lado Esquerdo


Esculturas da Igreja do Carmo - Lado Direito


Esculturas da Igreja do Carmo - Altar/Central


Saindo do Carmo fomos rumo ao Convento São Francisco. Atualmente no Convento funciona uma série de "departamentos" da Igreja Católica - é como se ali fosse a parte administrativa da mesma aqui no ES. Para entrar dentro do Convento é necessário subir uma rampa - que não obedece em todos os critérios as normas de acessibilidade, mas com a ajuda de alguém dá para subir cadeirante e carrinhos de bebê.

O lugar tem uma atmosfera magnífica - de muita paz e amor. Sem contar o silêncio, que dá para fazer reflexões diversas. Lá dentro é possível ter acesso a uma Capela, na qual encontram na restauração ossos humanos, que estão em exposição.

Convento de São Francisco - Visto de baixo


Subindo sozinha a rampa do Convento


Visão da rampa


Fachada do Convento de São Francisco


Capela Nossa Senhora das Neves


Capela Nossa Senhora das Neves - Interior


Pátio do Convento e Monumento em homenagem aos mortos que ali antigamente foram sepultados


Fachada do Convento


PAZ


Convento visto da rua


Do Convento fomos para a Capela Santa Luzia. Ela é a Igreja mais antiga de Vitória, e ficou por muito tempo fechada e sem o devido cuidado. Restaurada e agora podendo ser visitada, a Capela ganhou mais visibilidade - antes, muitos por ali passavam e nem a notavam. 

Entrada da Capela 


Capela Santa Luzia


Altar da Capela Santa Luzia


Saindo da Capela fomos para a Igreja São Gonçalo. Lá é simplesmente um encanto, e ali ficamos sabendo um pouco mais da história daquela construção - que era, na época, Igreja dos pardos. Sim, as que visitamos até então eram de brancos, e na época onde a segregação rolava solta, eram eles que tinham o direito de frequenta-las. Devido a reforma da Catedral, as principais celebrações e missas chegaram a ser transferidas para a São Gonçalo, e aí os homens brancos passaram a "dominar" a área, e os pardos a se sentar mais ao meio e fundo da Igreja.

Igreja São Gonçalo


Detalhes da entrada lateral

Altar da Igreja


Deste ponto do passeio fomos em direção a Catedral Metropolitana. A mesma está fechada para restauro (a algum tempo já), mas a beleza dela por fora já encanta. Para aqueles que derem sorte de ir com ela já restaurada, não deixe de reservar um tempo para admirar com calma os seus vitrais. Aproveite e também dê uma volta pela Catedral...ela é de se encantar por todos os ângulos!


Catedral de Vitória


Lateral da Catedral



Dali andamos rumo ao Teatro Carlos Gomes. Atualmente ele ainda recebe apresentações, e por isso é legal dar uma olhada na programação para poder entrar e apreciar a parte interna do mesmo.

Teto do Teatro - detalhe para a forma de uma ferradura


Manu aproveitando para uma breve encenação


Para finalizar a rota pelos monumentos, fomos a última igreja da nossa lista, a Igreja do Rosário. Esta era a igreja dos negros, e "talvez" por isso é a que tem o acesso mais "difícil". Ela esta localizada atrás do Teatro, só andar um pouco e a partir dali subir uma série de escadas. As escadas estavam em bom estado de conservação - aparentemente reformadas a pouco tempo.

Entrada da Igreja do Rosário


Igreja Nossa Senhora do Rosário


Detalhes


Altar da Igreja


Interior da Igreja


Casa de Leilões


No mesmo terreno da igreja está localizada a Casa de Leilões. Segundo informações que ali tivemos, nesta casa era onde arrecadavam-se dinheiro, através de leilões, para comprar a alforria de escravos.

Findado nosso passeio pelos Monumentos do Centro Histórico de Vitória, e com o nosso passaporte agora cheio!

Passaporte Completo


Bom, como já comentei, o Centro de Vitória é um lugar cheio de encantos, e além dos lugares visitados, você acaba sempre encontrando uma casa, uma esquina ou algo que te chame atenção. Aí vão algumas fotos, apenas para aguçar a vontade de conhecer o Centro.

Verde e Amarelo

Hostel


Concreto e Azul


Viaduto Caramuru


Azulejos


Manu brincando com o reflexo


O passeio ao todo não durou 3 horas. Em alguns trechos, Manu foi andando, em outros, no colo do pai. Confesso que achei que seria mais cansativo, seria difícil prender a atenção da pequena nos monumentos, mas até que foi tranquilo. O que fazíamos era apresentar para ela, de forma simples, os símbolos e estatuas. Manu gostava de sentar nos bancos, ir no altar e explorar o que pudesse.

Carregamos uma água e o kit Manu básico, mas não foi necessário ir ao banheiro em nenhum monumento - e por isso acabei nem perguntando se tinha, se daria para trocar uma fralda e algo do tipo.

Bom, este passeio vale tanto para crianças quando para os adultos - basta gostar de ver coisas novas (que podem ser velhas!). Quem tiver disposição, compensa aproveitar a ida ao Centro e ir ao Palácio Anchieta. Para nós, ficou para outro dia!


Comentários

  1. Emília, que delícia ouvir seus relatos. Ansiosa para acompanhar os próximos passeios dessa família espoleta.
    ABRAÇOS

    ResponderExcluir
  2. Que dez esse passeio preciso fazer, tem que agendar antes ? Vou entrar no site da prefeitura e garimpar..ficou ótimo o seu tour elo centro, a muitos e muitos anos atras trabalhei ali no centro de Vitoria no antigo Hospital São José, próximo ao Parque Moscoso, andava todos os dias por ali na hora do almoço e nunca observei esses locais. Hoje sinto saudades de andar por ali, mais o centro ta muito esquecido pelos governantes, tenho medo de assaltos e andar sozinha ali com maquina e celular não deve ser muito seguro..espero que uma hora a secretaria de cultura e do turismo despertem pra importância de se ter uma historia bem preservada. Temos que divulgar mais o centro, ele é lindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só, só hoje fui ler o seu comentário. Desculpas! O centro está um pouco mais seguro, mas em lugar nenhum dou bobeira com camêra e celular, então vale sempre aquela atenção! Eu adoro esta região de Vitória, pela diversidade e história que tem em cada esquina.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Hidrolândia Parque - Iúna - ES

Santa Teresa: Roteiro de 2 dias para aproveitar a cidade

Conhecendo um pouco do Caparaó Capixaba