Circuito da Prainha - Museu Atelier Homero Massena - Vila Velha - ES

Antes de falar do Museu Homero Massena, vamos falar do artista Homero Massena. Nascido em Barbacena (MG), Homero veio cedo morar em Vila Velha (ES). Jovem ainda descobriu o dom artistico, e embora tenha se formado em odontologia, pouco exerceu a profissão. De acordo com relatos do site da Prefeitura de Vila Velha, Massena estudou na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro e Minas Gerais, e também na Academia Julien, em Paris. Entre as diversas atividades que exerceu, destaca-se o jornalismo, afinador de piano, relojoeiro, saltimbanco e politico. Foi também responsável pela fundação do Centro de Artes da UFES.

Pintor e escritor, Homero Massena se destacou no cenário capixaba. Pintou o teto do Teatro Carlos Gomes (Vitória - ES) e suas mais de 10 mil obras estão espalhadas pelo Brasil, segundo Renata Bonfim, do blog Letra e Fel. Homero recebeu em vida muitos prêmios e condecorações, reconhecendo a sua arte, das quais destaca-se a Medalha de Ouro da Sociedade dos Artistas Nacionais. Do Estado do Espirito Santo, recebeu o titulo de Cidadão Espirito Santantese e uma de suas maiores obras, Solidão, encontra-se atualmente no Palácio Anchieta (Sede do Governo do Espírito Santo). Não obstante, Homero teve suas obras expostas na Galeria Rembrandt, em Paris.

Apresentado de forma muito resumida Homero Massena, vamos ao Museu. Localizado na Prainha, em Vila Velha, o Museu Homera Massena é atualmente onde era a residência do artista. Mineiro apaixonado pela cenário das praias capixabas, sua residência era uma típica casa de praia da década de 40-50 (Quem for visitar hoje, verá que não é tão mais perto assim do mar, mas isto devido as obras de terraplanagem que a região sofreu com os anos).


Museu Atelier Homero Massena


O interior do Museu retrata como era o Atelier e vida de Homero e d. Edy (sua segunda esposa). Casa simples e com esmero nos pequenos detalhes, é possível viajar para a tranquilidade que o lugar te passa. Um dos quartos da casa era o local de trabalho de artista. Nele, é possível observar como era o ritmo de trabalho de Massena, seus objetos pessoais de trabalho e a vista que devia o inspirar. Alguns quadros e obras também estão ali expostos.

Artista impressionista, Massena se destacou por trazer o observador para dentro da sua obra - que muda de acordo com a distância que se toma dela e a luz do momento. Magnífico!


 Atelier

 Algumas fotos do artista

 Ferramentas para as criações


No outro quarto, era dedicado ao casal, que na época dormiam em camas separadas. Destaca-se o detalhe sobre a rachadura próxima a porta, delicadamente pintada.


 Quarto do casal Massena

 Detalhes que fazem a diferença


Na ocasião do nosso passeio pelo Museu, havia uma obra de Massena exposta que foi emprestada por um colecionador. Esta obra me lembrou muito o Solar de Monjardim, mas o monitora (sim, tem um monitor para te contar tudo sobre o local) não soube confirmar se era. 


 Figueira do Tiradentes (1942), obra de Massena emprestada ao Museu


O empréstimo da obra era devido a comemoração dos 30 anos de Fundação do Museu (criado em 1986). Massena morreu em 1974, e a sra. Edy passou então a buscar meios de transformar a sua então residência em um Museu. Conseguido, ela também veio a falecer.

Segundo relatos (do monitor e de diversos blogs) Massena dizia que melhor que Vila Velha, apenas Paris. E este amor pela cidade é observado em diversos detalhes em sua casa, como por exemplo um mini-quadro em homenagem a Nossa Senhora da Penha, o Convento.


 Homenagem a Nossa Senhora da Penha


Sobre estar numa casa-museu com uma criança: foi tranquilo. Manu perguntou de tudo e quis encostar em tudo - como criança curiosa que é. Ir explicando primeiro para ela o que era e depois tentar observar as obras e detalhes com a atenção que era merecida, ajudou. Estar em dois para dividir a tarefa, também. O Ateliê, as tintas e pinceis e um quadro inacabado foram o que despertou a atenção da pequena - até o momento que ela abriu a gaveta do quarto do casal Massena e pegou a caixinha de joias. Aí, aproveitamos para além de perdir desculpas, explicar o por que não era legal mexer ali. A monitora foi super empática, o que também ajudou muito.

O Museu fica aberto para visitações de segunda a sexta, das 8h às 17h e; aos sábados, das das 10h às 14h. Ele está localizado na Avenida Beira Mar, 175, Prainha, e faz parte dos monumentos do Centro Histórico da Prainha.

Ainda tá pensando o quanto vale o passeio? Outros blogs contaram a experiência de conhecer o Museu Atelier Homero Massena, como o Destinões, O Baú do Viajante e o Capixaba quer sair de Casa. Dá uma conferida nos posts deles também, e deixe a oportunidade passar!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hidrolândia Parque - Iúna - ES

Descobrindo Costa Dourada (Mucuri - Bahia)

Santa Teresa: Roteiro de 2 dias para aproveitar a cidade