Pocando no ES 2 - Marataízes e Anchieta (Litoral Sul)

O Pelo Mundo com Manu teve a honra de participar do Pocando no ES 2. Mas afinal, o que é o Pocando no ES???

Pois bem, o Pocando no ES é um encontro de blogueiros de viagem pelo ES, com duração e roteiro definido. O objetivo do Pocando é divulgar nosso amado estado, mostrando que aqui tem muito potencial turístico - geralmente desconhecido por muitos (capixabas, brasileiros e estrangeiros). 
Na primeira edição (2016), o Pocando contou com a participação de cinco blogs de fora do estado e cinco capixabas, além do blog do idealizador do evento, o Capixaba na Estrada. Na segunda edição, o número de blogs participantes aumentaram, assim como o apoio ao evento. Assim, nos dias 7 a 9 de Abril de 2017 os blogueiros tiveram a oportunidade de conhecer um pouco do litoral sul do ES, e a gente, tava nessa!
As dúvidas de como seria seguir um grupo de blogueiros com a pequena eram grandes, pois o ritmo é bem diferente daquele que estamos acostumados. Por isso, resolvemos ir de carro próprio, para ter um pouco mais de conforto e em qualquer eventualidade, poder se deslocar com maior facilidade. Bom, acabou que vimos que não precisava de tanto, mas a precaução é uma grande aliada para quem passeia com crianças!
No dia 08 de Abril o roteiro incluía conhecer a Lagoa do Siri e a Praia das Falésias, em Marataízes. Depois, conhecer um pouco do Balneário de Iriri e passeio de barco pelo rio Benevente, em Anchieta. Um tanto de coisas né? Vamos ver no que deu então!


Lagoa do Siri

A lagoa do Siri é um daqueles lugares fácil de se apaixonar só pelo visual e a tranquilidade que ele transmite. Com suas água com coloração marrom 'coca-cola', coqueiros e de quebra o mar bem pertinho, ele é um dos pontos turísticos que bombam no verão e feriados prolongados.
O Governo do Estado do Espírito Santo, com o intuito de fomentar o turismo local, instalou em alguns pontos estratégicos o letreiro #amores, e a lagoa do Siri foi um deste pontos escolhidos. A ideia central da campanha é que o capixaba ajude a divulgar o turismo local. E convenhamos - a paisagem merece, né?


Lagoa do Siri e o letreiro #amores

A lagoa do Siri conta com uma boa infraestrutura de bares de restaurantes, que aproveitam da paisagem para deixar algumas mesas nas areias da lagoa, proporcionando um tratamento diferenciado ao turista. 


Vista do calçadão que circunda parte da lagoa

Nada mal aproveitar este visual hein!

A 'bunita' analisando as opções

Um pouquinho mais da lagoa


Para aqueles que não se contentam só com a lagoa, existe a possibilidade de curtir também a Praia da Lagoa do Siri, indicada para a pratica de atividades aquáticas, como o surf. Para aproveitar o final do verão, em Março acontece o Festival Gastronômico da lagoa do Siri, que conta com aulas shows e um cardápio diferenciado. 


Para quem curte uma praiana

Manu curtindo o visual

As águas da lagoa podem sofrer variações da sua condição geralmente tranquila, de acordo com a maré e ventos. Por isso, mesmo que suas margens sejam rasas, a dica é sempre ficar próximo à margem e não nadar para muito longe.
Conhecer a lagoa do Siri foi uma delícia. Não imaginava que a mesma contava com a infraestrutura que vi de bares e restaurantes. A parte chata mesmo foi só não dar para entrar na água e ficar o dia todo ali. Mas aí a gente releva, e deixa para matar esta vontade num outro dia de sol!
E assim, partimos para o nosso próximo ponto de parada em Marataízes, as Falésias!


Falésias de Marataízes

E toda a tristeza de ter que ir embora da lagoa do Siri se foi ao poder apreciar as Falésias de Marataízes. 
A Praia das Falésias não possui muita (para não dizer nenhuma) infraestrutura, e esta pegada rústica faz parte do seu diferencial. Suas águas contrastam com a coloração destes acidentes geográficos, que de acordo com a luz do sol 'mudam' de cor.


Praia das Falésias

As falésias se estendem por cerca de 5 km da costa de Marataízes, chegando a 40 metros de desnível em relação a praia. Geralmente possuem restinga preservada - possivelmente pela rusticidade do local. Em alguns pontos, é possível ficar em segurança em cima delas, e apreciar o visual lá de cima. Este é o caso da Praia dos Quarteis, quem também conta com um fato histórico - ali nasceu Domingos José Martins, um dos lideres e mártir da Revolução Pernambucana de 1817 e influenciador da Independência do Brasil, em 1822.


Mirante da Praia dos Quartéis

 E a vista do alto é assim

 Visu do local de nascimento do distinto Sr. Domingos

Saindo de Marataízes partimos rumo ao balneário de Iriri, em Anchieta, onde um roteiro gastronômico nos aguardava.


Iriri - Anchieta

Até agora estou inconformada de ter esperado tanto para conhecer Iriri. O balneário é uma delícia, e conta com quatro praias - Areia Preta, Costa Azul, Namorados e Santa Helena. 
Chegando em Iriri e fomos direto para o Hotel Espadarte, que nos recepcionou divinamente. Fizemos um tour pelas instalações do hotel, que deixou preparado um quarto com o café da manhã (caso o hospede peça, eles levam ao quarto). O hotel é muito bem localizado, praticamente na Praia da Areia Preta.


Vista para a Praia de Areia Preta

E aí, nada mal!

Alguém não queria sair da varanda do quarto!

Depois do tour pelo hotel, fomos para o Auditório, onde o Paulo Maia (gerente do Espadarte) fez uma breve apresentação sobre o balneário de Iriri e o turismo 'pé na areia' que o local incentiva - uma vez que é possível passear pelas praias andando e curtindo o visual. Paulo aproveitou e apresentou o chef Gilson Surrage, responsável pelo Gilson Bar e Restaurante e ganhador do Prêmio Dólmã de 2016 (Prêmio Máximo da Gastronomia Brasileira). 


Daqueles mimos que a gente ama!

Breve apresentação do balneário de Iriri e seus atrativos

Fomos agraciados com um almoço preparado pelo Chef Gilson - Bobó de Camarão e Paella, harmonizado com vinho branco e/ou espumante na área externa do Espadarte. Puro encanto, não?


Pose para a foto

Chef Gilson Surrage

Blogueiros na expectativa

E como tudo que tá ótimo tem como ficar melhor ainda, partimos para a praia Costa Azul, conhecida por ter muitos restaurantes e concentrar a movimentação noturna de Iriri. E desta vez fomos para o Restaurante Recanto da Pedra, a convite da Associação Iriri Vivo, provar a Torta Capixaba do chef André Ciclioti. Como o #PocandonoES se deu uma semana antes da Semana Santa, e em Iriri aconteceria o 3° Iriri Paixão Capixaba, a Associação aproveitou a presença dos blogueiros para divulgar o evento gastronômico. Para nós, capixabas, a torta já é uma velha conhecida. Entretanto, esta iguaria não era do conhecimento de muitos dos blogueiros que estavam no encontro, e se encantaram com a sutileza do sabor da torta. O chef preparou a torta típica, com palmito, frutos do mar e bacalhau, mas a sua apresentação ganhou um charme a mais - a folha de bananeira.


Praia Costa Azul

Detalhes da decoração do Restaurante Recanto da Pedra

Vista para a Praia Costa Azul do Restaurante Recanto da Pedra

Um pouco mais do visual apreciável do Restaurante Recanto da Pedra

A aguardada Torta Capixaba

E aí, estamos servidos?

Após todos alimentados e encantados com a culinária capixaba, hora de conhecer de leve o Santuário Anchieta e dar um passeio pelo Rio Benevente!


Santuário Nacional São José de Anchieta e Passeio pelo rio Benevente

O Santuário Nacional São José de Anchieta é mais que um dos #amores capixabas. A influência jesuítica na história de colonização capixaba é grande, e não é atoa que a cidade recebeu em 1887 o nome de Anchieta em homenagem ao Padre José de Anchieta. A nossa visita ao Santuário foi super rápida, mas a paz e harmonia do lugar reforçou a nossa energia para a continuidade do passeio por Anchieta.

Pórtico de entrada para o Santuário

Santuário Nacional São José de Anchieta

Como o Santuário é as margens do rio Benevente, basta descer por uma escadaria que tem-se acesso ao Porto de onde saem as embarcações para o passeio pelo rio. Como estávamos em um grupo grande, foram necessárias três embarcações para seguirmos com segurança rio Benevente a dentro!
O passeio tem duração variada, de acordo com a maré (enchente ou vazante). O nosso, durou cerca de duas horas e meia, sendo duas de deslocamento (ida e volta) e meia nas Ruínas do rio Salinas. Durante o passeio é possível observar a alteração gradual do Manguezal para a Mata Atlântica, nas margens do rio Benevente. 


Manguezal

Manu curtindo o passeio de barco e fazendo estripulia

Procurando avistar algum caranguejo

Pausa para um cajá

Tem como não se encantar?


Para chegar as Ruínas do rio Salinas (ou Ruínas Salinas, Ruínas Jesuíticas Salinas e por aí vai) é preciso adentrar no canal Salinas, construído não se sabe quando e nem com qual objetivo. Como o canal é menor que o Benevente, esta parte do passeio ficamos mais próximos às margens, e rapidamente avistamos o píer de apoio. Do píer, basta percorrer cerca de 500 metros para chegarmos as Ruínas. A trilha é de fácil acesso, embora não seja acessível.
Sobre as Ruínas: não se sabe ao certo por quem foram construídas e nem o motivo. Há uma linha que acredita que ali seria uma base/vila Jesuítica, devido a sua forte presença às margens do rio Benevente. Outra teoria é que seria uma Salina clandestina, devido ao fato de que na época de construção a produção de sal era monitorada pela Coroa Portuguesa. E em meio a este mistério, só nos resta admirar as ruínas, composta por 32 colunas construídas com pedras, óleo de baleia e conchas (material muito utilizado pelos Jesuítas). É possível presumir que ali seriam duas grandes edificações.

Porque o importante é curtir todos os momentos!

Rumo às Ruínas

Ponte sem rio que cai

Ruínas Salinas

Ruínas por um outro ângulo

Devo destacar que além da presença do Guia Marcelo Ribeiro, contamos com o sr. Carlinho neste passeio, que é um dos embaixadores do passeio de barco pelo rio Benevente. Ele nos prestigiou com alguns 'causos' sobre o lugar.
O retorno ao porto se deu com o por-do-sol, o que abrilhantou ainda mais o passeio. Aliás, este passeio foi uma das melhores surpresas do dia. Ele não é cansativo, e é super tranquilo fazer com uma criança. A dica aqui é levar repelente (além de já passar ao sair de barco), água e alguma fruta ou algo leve, caso dê fome. O uso de roupas confortáveis também é indicado.


Retornando

Blogueiros atentos

E a lua surgindo

Segundo o sr. Carlinho, o passeio para até 10 pessoas sai por cerca de R$180,00 reais. Para mais informações, só entrar em contato com ele pelo (28) 99881-1252.
Depois de um dia agitado e cheio de boas descobertas, hora de partir para Guarapari - cidade a qual iríamos pernoitar. E no Bistrô e Pousada Orquídea Café a Associação de Hotéis, Turismo e Convention Bureal de Guarapari havia preparado uma recepção para todos. Como a pequena (e nós também) já estávamos bem cansados, ficamos pouco, e logo nos dirigimos para a Guarapousda. Afinal, ainda tinha o terceiro dia do #PocandonoES para aproveitar!

 E alguém já chegou na Guarapousada dormindo!


O roteiro do primeiro dia do evento foi muito bom, diversificado e encantador. Deu para perceber em todo ele  cuidado do Deivson, do Capixaba na Estrada, para que tudo saísse da melhor forma possível. A acolhida pelas empresas que lidam com hospedagem e turismo também foi ímpar, e espero que possa sempre ter essa dedicação.
Como resultado no evento, alguns posts já foram escritos e publicados. Deles, destacamos:

- Bagagem de Memórias: O que fazer no Espírito Santo - Pocando no ES
- Tô Pensando em Viajar: Fim de Semana no Espírito Santo: #PocandonoES
- Mochilão Barato: Encontro de Blogueiros Pocando no ES
- Mineiros na Estrada: Conhecendo o Espírito Santo com o Pocando no ES
- Caminha Gente: Anchieta ES. 2° Dia do Pocando no ES os blogueiros visitam e prestigiam a região
- Destinões: Lagoa do Siri - uma lagoa com boa infraestrutura no litoral sul do Espírito Santo
- A vida é como um livro: Uma manhã de sábado na Lagoa do Siri e na Praia das Falésias em Marataízes
- Capixaba na Estrada: Iriri - belas praias e ótima gastronomia em Anchieta
- Guia e Turismo: O que fazer em Anchieta, cidade do litoral sul capixaba (roteiro de um dia)
- Casal Viagem: Pocando no ES - Segundo encontro de blogueiros com visita às Ruínas do rio Salinas - Anchieta/ES
- Viajante Comum: Espirito Santo - 5 (Grandes) motivos para você explorar Anchieta!
- Viagens Cina: 10 Melhores Praias do Espírito Santo

Se tem uma coisa que não faltou no #PocandonoES foi a imersão na cultura capixaba através da gastronomia. E devido a este fato, e encanto pela nossa culinária foi certo, o que também geraram posts com este viés. Segue alguns:

- Mochilão Barato: O melhor da Comida Capixaba
- Viajante Comum: Espírito Santo - Top 10 Pratos da Gastronomia Capixaba que você tem que provar
- Bagagem de Memórias: 6 delícias para comer no Espírito Santo
- Guia Capixaba: Recanto da Pedra
- Um Olhar Novo: Sabores para Pocar!!!
- O Melhor Mês do Ano: 7 coisas que você tem que comer no Espírito Santo

E a vontade que temos agora é poder voltar em cada um dos lugares visitados com muito mais tempo, para poder explorar ao máximo cada canto!




Comentários

  1. Já deu saudade do Pocando e dessa galera massa que veio!

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhhh! Esse relato só me deu vontade de voltar e viver tudinho de novo! 💙💙💙

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bora marcar outro....para o litoral norte agora!

      Excluir
  3. Demais o seu post Emília! Só me fez aumentar ainda mais a saudade desse dia...

    ResponderExcluir
  4. Foram dias incríveis! Adorei conhecer o ES e pocar muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz de que tenha gostado do pouquinho que pode conhecer Sofia! Estamos de braços abertos para sempre que quiser curtir ou relaxar por terras capixabas!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Hidrolândia Parque - Iúna - ES

Santa Teresa: Roteiro de 2 dias para aproveitar a cidade

Conhecendo um pouco do Caparaó Capixaba